2.2.10

A casa

A casa onde eu moro não tem parede,
Por não ter muros, não tem portão,
E por não ter parede, não tem rede,
Nem rua, nem quintal, nem céu, nem chão...

Tem agua boa pra matar a sede,
E pra matar a fome, muito pão,
Não é azul, não é branca, nem é verde,
Não é casinha nem é casarão...

Nem endereço tem a minha casa,
Enchente não enche, tufão não arrasa,
E olha que haja tufão...

Eu moro num lugar desconhecido,
Eu moro ali desde recem-nascido,
Eu moro dentro do meu coração...

Um comentário:

Ekklesia disse...

Que lindo, poetinha!