23.9.18

O autogolpe

A esquerda e a direita, frente a frente:
E tem início uma grande discussão.
Está em jogo uma vaga pra Presidente.
Mas não de um grêmio. De uma nação.

Então acusam se mutuamente,
Assumindo se como donas da razão:
Uma garante que a outra mente,
A outra assegura que não.

Mas enquanto jogam seu joguinho intolerante,
Das trevas surge um cavaleiro andante
E se apresenta como a solução...

E a esquerda e a direita não percebem
Que enquanto se desmoralizam e não cedem,
Conduzem o país de volta pro porão...

21.9.18

O motivo...

Eu canto porque o instante insiste
E a minha vida nunca se aquieta,
Não sou alegre nem sou triste
Nem poeta...

Eu canto uma canção que não existe,
Improvisada, inédita, incompleta,
Ao som do Poema Sinfônico de Lizt,
Para uma plateia surda e analfabeta,

Eu sei que canto e a canção é meu escudo,
Protege meu coração do mal de tudo
Como se fosse a única escapada,

E algum dia, de um modo agudo,
Eu sei que nesse dia estarei mudo,
Mais nada...

18.9.18

Crescidinho

Tá bonitinho. Quase um rapaz.
O pequeno Artur como cresceu.
Os primeiros espinhos deixou pra trás.
O pequenino prematurinho floresceu.

Rostinho de quem pode dormir em paz.
A pança certamente já encheu.
Que diferença uma preguicinha faz.
Como são gostosos os braços de morfeu.

Dorme menininho, aproveita bem,
Descansa pro seu tempo que já vem
Cheios de coisas pra você resolver,

Até que Deus, um dia, nos responda
O que esse Artur, sem tavola redonda,
Guardou em seu coração pra nos trazer...

13.9.18

A poesia

Para marthinha

Poesia. Palavra que agrada.
Diálogo que dispensa conclusão.
Funciona às vezes como uma porta de entrada,
Outras vezes, como a única opção...

Absolutamente desregrada,
Exatamente por isso sem perdão,
Parece estar sempre desesperada,
Provavelmente porque não possui tradução.

Poesia. Palavra que surpreende.
Nem sempre o que ela diz é o que se entende,
Tudo depende da interpretação.

Poesia. Sempre poesia.
Taça de vida que nunca se esvazia.
Espiga que alimenta o coração.










10.9.18

Poeminha presidencial

Escrito logo depois da divulgação do resultado da pesquisa Datafolha para presidente, primeira após o atentado sofrido pelo candidato de direita

Não basta apenas levar uma facada
Se você quer ganhar uma eleição,
Tentar comover uma nação emocionada
Confundindo voto com comoção,

E nem vai ser uma agressão desembestada
Que vai gerar um presidente pra nação,
Até mesmo uma população despreparada
Sabe se desvencilhar de um falastrão...

Então, pra quem pensou que bastaria
Uma facada e tudo mudaria,
Taí a primeira grande decepção:

Pode até ganhar no primeiro turno,
Mas Deus é pai, e pelas barbas de Netuno
No segundo turno perde até pro tal de João...

6.9.18

O poeta faz concoenta e nove

06/09/1959 -06/09/2018

Cincoenta e nove anos não são sessenta,
São quase sessenta, mas ainda não são,
Nem tudo é, apenas porque aparenta,
Por isso cincoenta e nove, sessenta não.

É quase chegar aonde tanta gente tenta,
Como a vida é generosa, alguns dirão,
Fazer cincoenta e nove mantendo a alma lenta
Faz parte de uma complexa equação:

É preciso alguma dose de poesia,
E de amar também, mesmo sem garantia,
E aprender a não transformar tudo em problema...

Então a idade vem, mas pouca gente nota
Que o tempo é um grande bem que não se esgota,
E é desse jeito que a vida vale a pena...

Pai e filho

Para William e João

Pai e filho. E muito amor envolvido.
Uma vida pela frente pra aprender.
Amor desde o início comprometido,
Não tinha nunca como se perder.

Parece que Deus já tinha se decidido
Bem antes desse dia acontecer:
O pai, profissional reconhecido,
O filho, com tanta vida pra viver.

E vendo esses dois meninos abraçados,
Transbordados de um amor tão sem pecados,
Essa alegria dispensa explicação,

Seja feliz, papai bem humorado,
Seja feliz, filhinho bem amado,
Nossa família é o nosso coração...

1.9.18

Trilhas

Prefiro um passeio por Ferreira Gullar,
Depois uma imersão por Tom Jobim,
Uma pausa pro Chico poder cantar
O chato dum querubim...

Augusto dos Anjos é de assustar:
Como é que conseguia escrever assim?
Vinicius, poemas para amar,
Prefiro trilhas desse amor sem fim...

Passo por estrofes deslumbrantes,
Sonetos desconcertantes,
E a poesia me inunda o coração...

Depois descanso um pouco da viagem,
Poesia muda sempre de paisagem,
Descanso o corpo.  O pensamento não...