25.6.19

Viva a poesia

Viva a poesia de nossas vidas:
A que deixamos para nossos filhos,
A que recebemos de nossos pais,
A que projetamos lá pra frente,
A que trazemos sempre pro presente,
E a que deixamos pra trás...

A poesia

Bendita seja, nesses dias, a poesia,
Que não tem cor, que é sempre qualquer cor,
Que é ao mesmo tempo quente e fria,
E, ao mesmo tempo, causa e cura a dor,

Bendita seja, Santa companhia,
A poesia, do jeito que for,
Nunca limita, separa, não segrega ou tria,
Nunca tem mais valor, menos valor...

A poesia é palavra ilimitada,
Ao mesmo tempo, enquanto é tudo, é nada,
Ao mesmo tempo, enquanto é morte, é vida

Querer impor limites ao poema,
E ver problema onde não há problema,
É obstruir a porta de saida.

19.6.19

As cinco mil extra-sistoles

Cinco mil extra-sistoles num dia.
Eu leio o laudo e tento me acalmar.
Cinco mil, meu Deus! E eu nem sabia,
Tantas, que somente o holter pra contar...

Cinco mil. Sem sudorese nem taquicardia.
Eu leio de novo. Não quero acreditar.
Faz tempo já não to mais na garantia,
Acho que Deus tá querendo me trocar.

Cinco mil. Até cai bem na poesia,
Mas é procurar a cardiologia
Pra ver se eu devo logo ir me internar...

Eis que o meu medico e amigo, em calmaria,
Responde meu zap (bendita tecnologia):
Resolve fácil, não precisa se preocupar...

18.6.19

Poesias

Você os guarda num blog ou numa folha A4?
Digita ou escreve com uma lapiseira?
Saem de primeira ou depois você dá um trato?
Posta sempre ou mostra só pra companheira?

Dá pra montar com elas seu retrato?
Vem em pedaços ou sempre vem inteira?
São próprias pra platéia de um teatro
Ou para usar numa espreguiçadeira?

A poesia, dona de segredos, 
Livrando o poeta de seus medos
E atirando o poeta seus abismos,

A poesia, que sempre encanta,
Silenciosa as vezes como um mantra,
A poesia e seus preciosismos.

13.6.19

O quibe da vovó Maria

Quem comeu o quibe da vovó Maria,
Frito, de forno, de peixe ou com coalhada,
Nunca mais come outro igual. É covardia.
Bastava o cheirinho e a boca ficava aguada.

Será que era o tempero que ela fazia?
A quantidade de trigo misturada
Naquele bolinho que ela esculpia?
Qual era a receita? Onde ficou guardada?

No coração da gente, na saudade,
Porque falar de vovó dá uma vontade
De um dia voltar a tocar a sua mão...

Ah, os seus quibes... quando novamente?
Vovó Maria, sempre presente
No melhor lugar do nosso coração...

10.6.19

As cinco mulheres

Cinco mulheres empoderadas,
Cinco mulheres amamentando
Suas cinco crianças internadas
E ao lado delas, pouco a pouco, melhorando,

Cinco mulheres determinadas,
Diariamente, a seus filhos, se entregando,
Não desistem, não ficam tristes nem cansadas,
Mas se acaso ficam, vão se superando,

Cinco mulheres que nos representam,
São corações assim que nos sustentam,
Um amor assim é a nossa única saída...

Que Deus abençoe essas cinco mães extremas,
Merecedoras de todos os poemas
E de "todo amor que houver nessa vida"...

9.6.19

Bom dia

Bom dia. E que seja mesmo um bom dia
Com muitas coisas por acontecer,
Algumas delas, motivo pra poesia,
Outras, a gente nem vai perceber:

O vento, o sol nascendo, a chuva fria,
O cachorro na rua, o coração bater,
Milagres diários que ninguém copia
Mas que o dia guarda em seu poder,

Então bom dia. Mais um pra gente,
Porque cada dia é um dia diferente
Ainda que sejam dias quase iguais,

Aproveitemos. É nossa chance.
Bom dia. Gostoso como um romance,
E como as coisas boas que ele faz.