4.3.10

Saudade


Que graça teria a vida se não houvesse a saudade,
Se não houvesse a vontade de querer rever alguém,
Se não coubesse na alma da gente essa necessidade,
Se não houvesse esse incomodo da gente se sentir tão sem?

Que graça teria a vida sem essa outra metade
Que quando acaba consegue fazer tudo ficar tão bem?
Que graça teria a vida sem essa tristeza que invade
O coração de quem sente saudade... E o de mais ninguém...

Que graça teria a vida sem a sua companhia,
Saudade, que é castigante como chuva em noite fria,
Que é como um gosto vinagre, que é como um mundo sem cor?

Por isso é que me pergunto que graça a vida teria
Saudade, sem suas brasas pra fornalha da poesia,
Que graça teria a vida, saudade, sem sua dor?

Um comentário:

Rosângela Maria disse...

Trovinha copiada em 1969 na biblioteca no Colégio Municipal de Campos, hoje 29 de maio:

"Saudade que se espera
Nâo é saudade, é lembrança
Saudade só é saudade
Quando não tem esperança"

Gostaria de saber o autor.

bjo poetinha doutor,
Jesus e Lindo!