15.10.09

A Cidade dos Anjos
(Para Roberta Profice)

Nunca chove na Cidade dos Anjos...
Na Cidade dos Anjos o vento nunca assusta...
Não há temporais, relampagos, trovoadas...
Nem raios além dos de um dia de sol...

Nunca chove lá como chove a chuva
Que alaga em poças
Nosso coração...
A Cidade dos Anjos traz suas praças
E calçadas
Trabalhadas com flores e borboletas
Além daqueles pequenos insetos multicoloridos
Da National Geograpihic
Cujo nome não sei dizer de cor...

Repleta de delicadezas,
A Cidade dos Anjos é um bordado
De sorrisos
Alinhavado
Com as malhas do coração gentil
De suas gentes...

Um dia,
Se eu tiver merecimento,
Quero pedir a Deus
Para visitar
A Cidade dos Anjos,
Onde moram os avós,
Os bisavós
E os velhinhos de nossa existencia...

Vou colher uma foto,
E depois de revelar
Colocarei ela num porta retratos
Ao lado da cabeceira da minha cama tosca
No meu quarto quase sem janelas
Onde venta lá fora
E chove as vezes,
E relampeja,
E trovoa...

E cada vez que eu olhar
Aquela foto colhida,
Eu me lembrarei
Do dia
Em que por bondade de Deus
Eu vi a Cidade dos Anjos
E por algum instante,
Entre Anjos,
Fui feliz...

Um comentário:

Rosângela disse...

Que bom! Não mais quase!!J:)
Mas... lindas poesias...
Depois vou comentar com mais calma.
Tô correndinho...Mas vou logo avisando: Li tudo! Não há pressa que me faça ficar no "Quase!!!". Escreveu não leu, o poema perdeu! huhuahauha

Fica com Jesus. Quem tem Jesus tem tudo!

kkkkkk olha a palavrinha:
dedimil

Deu de mil, hein???kkkk
zanzaiscafoguete!