14.11.08

Improviso ao poeta Antônio Roberto


Melhora, amigo, sua poesia
Faz falta nesse mundo tão mesquinho...
Vem logo para nossa companhia,
Ler um soneto, contar um versinho...

Tem gente contando nos dedos esse dia...
E cada dia falta menos um pouquinho...
Por que essa falta de pressa tão Bahia?
Por que tão assim devagar, devagarinho?

A vida é como um poema bem comprido
Que quase nunca termina de ser lido:
Há sempre um verso livre por dizer...

Os pratos de vovó estão esperando...
Vem, poeta, estamos te aguardando...
Fica com Deus, meu poeta... Até mais ver...

Um comentário:

Roberta Profice disse...

"A vida é como um poema bem comprido
Que quase nunca termina de ser lido:
Há sempre um verso livre por dizer..."
Os seus alimentam sempre a minha alma, e ela têm precisado MUITO ser nutrida, anda tão vazia meu amigo...Saudades!
BEijos da amiga que te adora!