1.1.16

2016

Entra, 2016, pode chegar,
Só não repara na desarrumação:
Tem muita coisa fora do lugar,
Desculpa causar de cara má impressão.

Fica à vontade para me ajudar,
Estou precisando mesmo de uma mão:
Tem muita coisa para consertar,
Sozinho eu não ia ter a determinação

Para jogar fora uns lixos que andei juntando,
E tomar cuidado de não ir desperdiçando
Algumas coisas boas que eu tinha e nem sabia...

Por isso, 2016, seja bem vindo,
E cuida de mim como se fosse meu dindo
Ou o anjo guardião da minha alegria...

3 comentários:

Augusto GS disse...

- Quase, poesia - diz o poeta, ao cumprimentar o seu trabalho.

Creio que o "quase" um dia há de vir a ser alguém. Creio que o alguém que hoje humildemente se diz "quase poeta" há de vir a ser "quase tudo".

Se ou quase não são opções - afirmo! Tudo é uma questão de tempo. É,portanto, uma questão de quando(s)!

Ananza Figueiredo disse...

Nossa, que bacana!!! Amo sonetos criativos! Não conhecia seu blog, voltarei mais vezes :) Achei mais incrível, o sr. é de Campos, eu também moro aqui! Conheça meu blog minhavidacontadaempoesia.com

Atit Ordep disse...

bom, muito bom