25.8.09


Arrastre al pecho...

A pele pronta: cor, temperatura,
O cheiro, como o arquiteto da procura,
Os movimentos bem direcionados...

O olhar atento, a lingua canolada,
Exteriorizda, preparada,
O instinto dispensando aprendizados...

Ávido e lucido, o recem-nascido
Como se usasse um sexto sentido
Movimenta lentamente as mãos, o rosto,

E segue silencioso nessa entrega:
A entrega da busca a desaguar na pega
Do seio sob a gota de colostro...

4 comentários:

zebulom disse...

Sempre venho aqui para ver se encontro algo.

E não eh que nasceu!

Se existia algo que encantava e muito a minha mãe era uma crianca amamentada ao seio.

Volte mais. Não fique soh no quase...quase...quase...

Eh um desperdicio este espaço vazio...

Eh como um seio cheio com um bebe sem apetite.

Volte sempre...
sempre...
sempre...

zebulom disse...

...Meu Deus... que vontade de chorar...

e a palavrinha: redri.

Vermelho é vida: ri!

zebulom disse...

Amado, veja isto!Lembrei tanto de você! Não poderia ficar no quase... tive que vir:
http://www.flickr.com/photos/fatimanascimento/3872618228/in/photostream/?addedcomment=1#comment72157622085839831

Larissa Alves disse...

Parabéns pelo blog, tive o privilégio de encontrá-lo ao acaso e adorei sua maneira de "montar as frases", criando belas poesias!
Vou estar sempre passando por aqui, vale a pena!

Larissa