5.5.08

A mãe prematura


 

A mãe prematura do bebe prematuro

Nascida antes do que era para ser,

Como quem antecipa o seu futuro,

Como quem torna-se sem perceber...


 

A mãe prematura do bebe prematuro

E a luta por seu bebê sobreviver...

Às vezes tudo é tão sombrio e escuro...

Tudo tão frio, sem amanhecer...


 

A longa dor de quem aguarda a cura,

Como quem, sem saber o que, procura,

E assim, nessa procura, se desfaz...


 

Segura nas mãos de Deus, mãe prematura...

Segura nas mãos de Deus que te segura...

Segura nas mãos de Deus e segue em paz...

4 comentários:

Eternessências disse...

"Grande":
Publiquei um dos seus poemas lá no meu cantinho. Com foto e tudo!
Passe lá!
Deixo um beijo de saudade e carinho!
Rose

Maurício Quitete disse...

Opa, mais um bom blog! Posso colocar nos meus links?
Já ouvi falar sobre você, minha prima Ana Júlia trabalhou no hospital, e guarda com carinho um belo livro de poesias de sua autoria. Tio Rodrigo é meu tio e padrinho, por parte de pai, nos últimos anos o considero uma das pessoas mais importantes para minha educação. Conheço Saulo, sou aluno de Pedro. Além de admirador de Dona Hilda e Flávio, que tem uma simpatia invejável!

Maurício Quitete disse...

Sairá quando? Amanhã? Farei questão de comprar o jornal nesse dia!

Maurício Quitete disse...

Estava achando estranho ser publicado amanhã! Aposto que fará muito sucesso no domingo!